NELAS VEJO MINHA ALMA

NELAS VEJO MINHA ALMA
A suprema felicidade da vida é ter a convicção de que somos amados.

Seguidores

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

“A outra que mora em mim”



Este outro “eu” que mora em mim
Aduba de sonhos meu chão.
Onde florescem indóceis todas as sensações.
Grávida de uma ternura maltrapilha.
Vai multiplicando meus “eus”...
(Glória)

Este outro lado que me transfigura
Nessas agonias florescendo nos meus versos
Abraça-te com papoilas enquanto choras
Arremessa ao Atlântico novas caravelas
E desbrava com lirismo todos os reversos!
(Vóny)

Brincando de ferver minhas artérias.
Percorre todos os espaços fechados.
Abre todas as portas trancafiadas.
Desarruma sentimentos guardados
Sem cerimônia, desnuda minha alma...
(Glória)

Ah, e por mais que o coração silencie
O sangue borbulhando abre os caminhos
Descodifica segredos, desobstruí janelas
Para que o sol ao amanhecer te beije o rosto!
(Vóny)

Expõe desejos, eriçando as próprias vontades.
Desavisada, não consegue enxergar
Que há mistérios em cada sílaba.
E alheia, segue soprando afetos.
Minando a lucidez do meu mundo.
(Glória)

E eis que sou borboleta para afagar
Cada palavra resplandecendo no céu das palavras.
E eis que sou brisa acariciando o teu olhar
Qual golfinho perdido em imperceptível choro,
Aprisionado numa rede, lançada ao mar.
(Vóny)

01 novembro 2008

Duo : Glória Salles & VÓny Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário