NELAS VEJO MINHA ALMA

NELAS VEJO MINHA ALMA
A suprema felicidade da vida é ter a convicção de que somos amados.

Seguidores

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Do que escrevo”


Meus escritos são sobre a vida
Do movimento deste ciclo intenso.
Da história bem ou mal vivida...
Do momento raso, e do instante denso.

Escrevo quando sinto o beijo da aragem
Ou se fustigantes ventos me agitam
Do amanhecer, da perfeição desta imagem.
Ou se os mais secretos sentimentos gritam

Falo da fantasia que alimenta o coração
Camuflada nos tópicos da minha realidade
Falo das tormentas que entremeiam a emoção
E da placidez vagando a minha verdade

E é na multidão densa da minha solidão
Que deixo o verso expor a nudez do coração.

Glória Salles

2 comentários:

  1. Poema lindo!
    Vestiu-me feito uma luva.
    E eu adorei o seu coração desnudo.
    Nele, pude mergulhar na sensibilidade da mulher/poeta, linda e feliz, ao decantar a natureza em festa.
    Beijo grande da
    Genaura Tormin

    ResponderExcluir
  2. Seu cantinho é um doce
    AdoroOo
    beijo Xan

    ResponderExcluir