NELAS VEJO MINHA ALMA

NELAS VEJO MINHA ALMA
A suprema felicidade da vida é ter a convicção de que somos amados.

Seguidores

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Ontem à noite eu vi
Toda a beleza da lua

Grande bola, branca, nua...

Linda dama a me saudar

Ao esperar pelo trem,

Parada, em plena

Estação,

Ergui os olhos do chão

E encontrei o luar...

Pensei em Deus, nesse instante,

E agradeci, radiante

Por essa visão sem par

E a índia que ainda sou

Potiguar tão ancestral

Lembrou-se do seu quintal(

que era toda a natureza)

Aldeia a não ter mais fim

Sertão, veredas em mim!

Luares, rios, cachoeiras...

E a mística dessa cena

Escorre, lápis a fora

Nestes versos, neste agora

Nesta homenagem tão minha

A esta lua sozinha

Brilhante a iluminar

Minha vida nesta selva

Tão urbana, tão concreta!

Um horizonte de metas

Que insisto em arquitetar...

E aqui eu vou me embrenhando

Vou guerreando, caçando

Escrevendo e articulando

Sonhos grandes como o mar

Meu querer é como o mundo

Enorme, poço sem fundo

Ninguém pode me parar!

Cavo as oportunidades

Com a enxada das vontades

Pra semear amanhãs

Mas em noites como essa

Esqueço de guerrear...

Pois meu Ser

Tão desabrocha

E viro moça da roça

Quando vejo esse luar...

Goimar Dantas

Nenhum comentário:

Postar um comentário