NELAS VEJO MINHA ALMA

NELAS VEJO MINHA ALMA
A suprema felicidade da vida é ter a convicção de que somos amados.

Seguidores

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

"MONÒLOGO DE DOR"

A noite se acende em gumes adagas feridas de gritos que a solidão estrangula.

As pessoas, os objectos, as silhuetas e as pare dessão como grades aprisionando a minha alma.

Tanta coisa por dizer!

Tanto silêncio dolorido!

Tantos gritos estrangulados!

O sonho se esboroou contra o impossível.

Ficou uma realidade sem cores batendo-se no crespúsculo das minhas telas abandonadas.

É necessário amortecer a dor anestesiar-me,ou me alhear em oração esquecendo as suicidadas flores daquele nosso jardim à beira da capelinha e das flores que não chegámos a plantar

Chego mesmo a odiar essas frágeis sementinhas que ainda guardo no coração

Luiza Caetano

Nenhum comentário:

Postar um comentário